Enfim, acabou. Lulitos (Lula) foi condenado e preso dando fim a este impasse que dura mais de 3 anos. Mas, hoje não vamos falar da condenação e prisão de Lula, porque já falamos lá no podcast. Hoje vamos analisar como fica a esquerda com o fim do lulismo. Pra que lado a coisa vai, quem será o herdeiro do barba? Vamos ver. 

Os Eleitos 

Depois do boom da Lava Jato e o colapso do PT, os partidos de esquerda se separaram, indo cada um para o seu lado. Dessa maneira, é natural que nestas eleições eles tenham seus candidatos próprios – falaremos muito mais deles na série candidatos, onde faremos um podcast especial sobre TODOS os presidenciáveis, mas aqui neste artigo vai uma breve descrição de cada um: 

Ciro Gomes: 

Cirão! O homem bravo do PDT, Paulistano de Pindamonhangaba, radicado em Sobral – Ceará (lugar mais quente do Brasil), ex-governador do mesmo Estado, 60 anos, formado em direito pela UFC (referência não intencional). Atuou também como Ministro da Integração (2003-2006), Ministro da Fazenda (1994-1995), Prefeito de Fortaleza (1989-1990) e Deputado estadual – CE (1983-1988). 

Cirinho Paz e Amor?

Atualmente, Ciro é filiado ao PDT, partido de centro-esquerda filiado à Internacional Socialista. Ciro é um caso complicado, pois é muito conhecido por sua instabilidade, por ser o tipo de cara que quando se estressa solta o verbo sem se importar muito. Ainda sim, uma boa parcela da esquerda está apoiando sua terceira candidatura à presidência. Porém, dificilmente receberá o apoio dos dissidentes do Lulismo, pois Ciro vivia uma relação de “Amor e Ódio” com Lula, ora defendendo que ele fosse investigado e punido, ora criticando os exageros da PF. Além de tudo, o plano de governo que ele apresenta atualmente, talvez não agrade muito aos PTistas e nem ao Mercado

Guilherme Boulos: 

Esse é o destaque do momento: o iluminado! Paulista, 35 anos, filósofo e psicanalista pela Universidade de São Paulo. É político, escritor e professor. Conhecido por liderar o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra. Em 2018 se filiou a PSOL, partido de extrema-esquerda. 

Boulos vem, pouco a pouco, ganhando mais popularidade. Sua militância e seu discurso político lembram um pouco do que Lula já foi um dia – inclusive, o próprio Lula já rasgou elogios pra ele em várias oportunidades:

 

Por vir de um movimento político bastante conhecido, e por ser reconhecido pelo líder-mor, tem grandes chances de conseguir aglutinar a esquerda em torno de si e se tornar um candidato viável. Porém, pesa a ele o fato de ser um cara inexperiente que pleiteia a presidência sem nunca passar por outro cargo público anteriormente. Além disso, filiou-se a um partido que defende algumas pautas que não são lá… muito bem vistas por muita gente, inclusive os lulistas. 

Manuela d’ÁVila:

Nossa querida Manu! Gaúcha de Porto Alegre, formada em jornalismo pela PUC-RS, filiada ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB), foi vereadora de Porto Alegre (2005-2006), deputada federal pelo Rio Grande do Sul (2007 – 2015), deputada estadual (2017 – atualmente). 

Antes mesmo dos outros candidatos acima citados, Manu já vem chamando a atenção e se tornando cada vez mais viável, com pautas e propostas bem interessantes. Sempre se manteve em cima do muro quando o assunto era Lula. Defendia algumas coisas dos governos PTistas, mas sempre deixou claro que via erros na gestão, sem citar exatamente quais. Muito disso se deve por seu partido, aliado histórico do PT, ter tido uma rixa interna, retirando o seu apoio, e anunciando um candidato à presidência pela primeira vez em 55 anos de história. 

Apesar dessa indiferença em relação ao Lula e ao PT, nos últimos dias, ela vem se aproximando. No dia que Lula não se entregou à PF, ela estava lá, junto com Boulos, anunciando que daria total apoio ao Lula durante a sua prisão. 

O Erro do PT 

Já disse no podcast, que, na minha opinião, o PT se prejudicou muito em ficar nessa de “Lula até o fim”, já que era previsível pra todos que tinha grandes chances dele não participar das eleições de 18. Durante todo o período que se iniciou no impeachment da Dilma até hoje, o PT não se preocupou em “criar” uma nova alternativa dentro do seu partido, preocupando-se, apenas, em dramatizar toda a situação: golpe pra lá, perseguição pra cá, Globo isso, Moro agente da CIA aquilo… e candidato, planejamento e proposta para 2018, nada. Agora, sofre sem saber para onde ir. 

As duas melhores opções são Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, ou Jaques Wagner, atual secretário estadual de desenvolvimento econômico da Bahia. Nenhum dos dois tem relevância a nível nacional, mas são as opções. Além disso, há uma terceira via: abdicar de uma disputa na presidência e apoiar um dos 3 candidatos citados acima. Faria mais sentido, afinal, estes partidos sempre apoiaram o PT. Talvez… o melhor a se fazer seja um rodízio. 

Quem leva? 

Muito difícil dizer. Teremos que esperar mais um pouco pra poder cravar alguma coisa. Mas, atualmente, temos Ciro, como segunda opção dos eleitores mais “tradicionais”, Manu, como a novidade (a cara nova), e Boulos que irá trazer toda aquela carga dos movimentos sociais (LGBT, negro, indígena, feminista) que, hoje, com a polarização, pode render grandes números de votos. Isso tudo, se! O PT abrir mão da disputa. Senão, seria mais uma candidatura para esse bolo. 

E aqui começa a corrida: os partidos de esquerda brigando pra ver quem é mais “lulista”, o PT procurando uma alternativa e todos eles brigando entre si. Enquanto isso, do outro lado… tem uma pessoa que só ri de tudo e cresce cada vez mais, né parça? 

“E ria, ria, como se eu não fosse nada. Ria, como fosse ter virada.”

Então, esquerda… Se liga! União faz a força. Deixa o Lula de lado e vem pra luta! 

Referências:
http://www.causaoperaria.org.br/blog/2017/11/13/desde-sua-fundacao-e-primeira-vez-que-o-pcdob-lanca-candidato-presidencia-da-republica/#.WsqwvojwbIU
http://www.bbc.com/portuguese/brasil-43549844
https://www.psol50.org.br/guilherme-boulos-se-filia-ao-psol/

Apenas um rapaz latino americano que busca seu lugar ao Sol, formado em Tecnologia da Informação porém amante de humanas. Ao se deparar com diversas situações do dia a dia, reflete sobre todas elas, e dessas reflexões as vezes sai uns conteúdos bons que a gente posta por aqui mesmo.